Felicidade e Saúde: Estudo Mostra Relação Direta

30/05/2017 • Ciência, Destaque, Psicologia Positiva

Intervenções em prol da melhoria da felicidade, algumas delas da psicologia positiva, mostraram-se capazes de reduzir os níveis do vírus HIV no sangue de pacientes infectados. O estudo que relacionou felicidade e saúde foi conduzido pela Dra. Judith Moskowitz, da Northwestern University (EUA), e evidenciou também que as mesmas práticas afetaram as doses de antidepressivos administradas aos pacientes.

Para a pesquisa, foram acompanhadas 80 pessoas, a maioria homens, com diagnóstico recente, orientadas a praticar atividades promotoras de emoções positivas pelo período de cinco semanas. No grupo controle, estavam 79 indivíduos com o mesmo perfil. Ambos tiveram a carga viral mensurada ao início da investigação.

Os resultados mostraram que 91% dos pacientes que praticaram as atividades orientadas inicialmente apresentaram redução na carga viral, contra 76% observados no grupo controle. Ainda sobre a mesma pesquisa, ao início 17% dos dois grupos estavam sob tratamento medicamentoso para depressão. Ao final, o grupo controle passou para 35% em uso de antidepressivos, enquanto o grupo que seguiu as práticas não apresentou incremento.

Confira algumas das intervenções empregadas:

• Reconhecer um evento positivo por dia, saborear este acontecimento registrando-o em um diário ou compartilhando-o com alguém.
• Estabelecer um diário de gratidão (já falamos sobre isso aqui).
• Listar uma força pessoal por dia, verificando como a usou recentemente.
• Estabelecer um objetivo diário, acompanhando o progresso.
• Registrar, a cada dia, um pequeno fator estressor e formas de evitá-lo e/ou lidar com ele.
• Valorizar a gentileza e realizar um pequeno ato gentil intencional por dia.
• Reservar 10 minutos ao dia para concentrar-se na própria respiração e desfrutar do momento presente.

Acesse aqui a pesquisa científica que relacionou felicidade e saúde:
Moskowitz JT, Carrico AW, Duncan LG,et al. Randomized Controlled Trial of a Positive Affect Intervention for People Newly Diagnosed With HIV. Journal of Consulting and Clinical Psychology . 2017

Tags: , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *