O Que Faço Quando Não Estou Feliz?

26/04/2016 • Destaque, Estilo de Vida

Muita gente duvida que possa me sentir feliz quase todos os dias. Digo quase todos os dias porque vez ou outra a vida naturalmente amornece. É quando ela fica quente demais para ser refresco ou fria demais para ser chá perfumado.

A felicidade tornou-se meu estilo de vida e não aceito mais que três dias sem a sua companhia. Inacreditável? Houve um tempo no passado em que andei de braços dados – casamento de papel passado e juras de amor eterno – com a infelicidade. Mas, cansei de ser traída por ela.

Ah, a felicidade, essa sim é confiável. Faz poucas exigências, não é materialista, sabe que o melhor lugar para se estar é aqui e que o melhor tempo é agora. Recompensa, de maneira generosa, os esforços empreendidos para tê-la por perto. Discreta, surge sob perfeitos disfarces: na janela quando amanhece, na mangueira-gourmet que sombreia os almoços em família, nas primeiras palavras ditas pelo caçula.

O que faço quando não estou feliz? Promovo pequenos prazeres. Minha felicidade sente de longe o perfume do primeiro espresso da manhã, ainda mais atraente quando acompanhado de pão fresco com manteiga. Ela percebe minhas segundas intenções quando borrifo baunilha no escritório antes mesmo de ver meus e-mails. Sabe que sou capaz de ir longe para tê-la comigo quando finalizo mais cedo meus compromissos para ver um amigo que está na cidade de passagem. E se me vê na cozinha com o mise en place, um Bellini e uma trilha old school rende-se imediatamente.

Foto: Wlad

Tags: , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *